Livros

Se Eu Não Tivesse Enviado Aquele E-mail... - Fernando Henrique

12:00

Com a premissa de narrar acontecimentos reais de forma cômica e irreverente, "Se Eu Não Tivesse Enviado Aquele E-mail..." falha miseravelmente. Com piadas meramente engraçadinhas no início, o livro parece ser uma boa escolha para se distrair, porém, com o decorrer da história encontramos um humor que degrada e segrega diversas minorias. Qualquer um que tenha uma leitura minimamente crítica, consegue perceber o quão ruim são as tentativas de humor feitas pelo autor. Não indico a ninguém, e explico abaixo o motivo.

De cara somos apresentados a Rick e Ane, personagens que irão desenvolver a história. Ele, apaixonado, ela, não estando nem aí. Ou melhor, ela é um tanto confusa. Ok. O que mais existe por aí são pessoas (homens e mulheres) que não sabem o que querem, e os personagens não fogem dessa realidade. O problema começa quando a história não aprofunda essa confusão. Em resumo, em um capitulo está tudo bem, no outro, tudo muda. Em um dia Ane diz "não estou interessada em você", e no outro "estou sim". É basicamente nesse nível. Não existe um desenvolvimento, explicação ou até mesmo qualquer coisa, que tire essa sensação de que está faltando algo. Em "Quem é Você Alasca?", por exemplo, nos deparamos com uma personagem mil vezes mais inconstante que Ane, porém, não sentimos falta de nada, pois, a história foi melhor amarrada pelo John Green.

Rick faz o típico apaixonado. Citando o popular, está de quatro por ela. Os únicos pensamentos que são narrados, são acerca de Ane. Um problema, quando noventa por cento do livro é composto de pensamentos (diálogos são raros). O que me incomodou muito, é a extrema obsessão que Rick tem, a ponto de ter pensamentos ridículos e desumanos. Convenhamos que chamar o filho de uma mulher de "empecilho" e cogitar, mesmo que seja na maior das brincadeiras, dizer pra ela vender essa criança, é no mínimo idiota.

Encontramos também uma quantidade grande de frases preconceituosas. A que me deixou mais revoltado e com vontade de jogar o livro fora, diz respeito a pagodeiros. (Spoiler) O pai do filho de Ane, era funcionário de uma academia. Carinhosamente apelidado de Personal, pelo próprio Rick, também é chamado de pagodeiro por ser negro (Já que na verdade, ele não ouve sequer uma música durante todo o livro). Em uma passagem um pouco mais pra frente, ele diz:

"Se eu soubesse que era só isso que eu precisava para conquistá-la, tinha comprado um pandeiro há anos e usado Cenoura e Bronze na praia para dar uma escurecida da pele (...)Ane era tão linda, tão inteligente, tão loira. Espera aí. Claro! Loiras adoram pagodeiros. Era uma atração que existia desde os princípios dos tempos. O universo estava conspirando contra mim. Tenho certeza que ela lutou bravamente. Mas ela não era tão forte o suficiente para vencer o universo" (página 115)

Pra piorar a situação:


"(...) Percebi que existia um padrão em todos os homens que Ane tinha ficado até ali. Todos gostavam de academia, o último até trabalhava lá, tinham cabelos ruins e eram feios. Não sei se eles eram divertidos e amorosos como eu era com ela, acho difícil. Deviam ser esses caras que vivem de farra, dando indiretas e que não perdem tempo. (...)" (página 125)

Acho que alguém deveria procurar saber a respeito da polêmica envolvendo a banda fly, antes de sair por aí dizendo que qualquer pessoa tenha "cabelo ruim".

Sem continuar citando passagens, mas ainda ressaltando, o autor também demonstra uma descrença com relação à amizade entre homens e mulheres, dizendo que esse tipo de amizade só existe se a mulher for feia, comprometida ou tiver um marido que seja PM. Que feio, não? Além de atacar a masculinidade de homens que assistem ou leem Crepúsculo, insinuando que não é "coisa de macho".

Apesar do livro ter uma narrativa leve e algumas piadas que valem a pena, os contras são maiores que os prós e por isso, não recomendo a ninguém.



Sinopse:

Rick conhece Ane, se apaixona, e descobre que ela tem um noivo. Uma história que pode mudar a sua vida. Provavelmente não vai, mas poderia.

25 comentários

  1. Bom... eu li o livro e não estou aqui para defende-lo apenas dar a minha opinião. Como vejo sempre vídeos do autor sei que tudo q ele fala é pq é para ser engraçado em nenhum momento na minha leitura do livro me apeguei a este lado preconceituoso que você diz. Eu nem cheguei a cogitar isso. Li como um romance leve que me divertiu. A falta de detalhes talvez seja por ser uma história real e normalmente não lembramos de todos os detalhes que acontecem coma gente. indico o livro. Gostei muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exactamente o que eu achei também.

      Excluir
    2. Piadas preconceituosas não são engraçadas. Se você acha, deveria rever seus conceitos de humor. Isso pode te dar bastante dor de cabeça no futuro.

      Excluir
  2. Só pra abrir um parêntese. Acho q poderia ter colocado o parágrafo inteiro. Pq quem lê o pedaço q vc colocou só vê o lado do preconceito. Mas quem tem a oportunidade de ler o parágrafo todo ou até o livro consegue ver o lado q ele tentou fazer uma brincadeira com os sentimentos dele. Pois ele amava muito e ama até hoje a Ane. E quem não fala mal da pessoa q está ao lado da que você ama? Talvez ele possa ter usado uma palavra q te pareça ofensiva. Porém acho q em nenhum momento foi essa a intenção dele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com.você. o livro é bem legal, e fim.

      Excluir
    2. Rotular ou menosprezar alguém devido sua cor da pele, mesmo que seja "normal falar mal da pessoa que está ao lado da pessoa que você ama", é preconceituoso e fim.

      Excluir
  3. Vai caçar o que fazer Carlos sua bichoooona. ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara você tem respeitar a opinião das pessoas.

      Excluir
    2. Cara você tem que respeitar a opinião das pessoas*

      Excluir
    3. COMO ASSIM TERESA ???

      Excluir
    4. Carlos?
      ROMERO BRITO?
      O meu pai?

      (Agora, falando sério. Quem diabos é Carlos?)

      Excluir
  4. Olha só,eu nunca li esse livro,mas já ouvi falar... Acredito que se na vida existam pessoas preconceituosas por que em um livro não pode existir? Suas criticas foram mal colocadas... Uma coisa é criticar o personagem outra é rotular a obra toda e até mesmo o autor como preconceituoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma coisa é o autor criar personagens preconceituosos outra é mostrar como se fosse algo normal e bonitinho.

      Excluir
  5. Oi Bruno! Obrigado por ter dado uma chance ao meu livro, que pena que você não gostou. Minha intenção nunca foi ofender ninguém com ele, mas vou ficar mais atento nas correções pra mais nada desse tipo passar. Abração pra vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha lido a resenha. Não pude deixar de comentar tudo cito.
      Apesar de parecer algo pequeno, histórias influenciam pessoas e eu acredito profundamente em algo chamado representatividade. Infelizmente, o livro não fez um bom papel quanto a isso.

      Excluir
  6. Oi, ainda não li o livro, mas muita gente fala bem, essa é a primeira resenha negativa que leio, e sério que essas frases foram tiradas do livro? Não esperava isso, mas quero ler para tirar minhas próprias conclusões, adorei a resenha você escreve muito bem.
    Abraços
    http://litaralmentelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu li o livro e adorei... Muito bem escrito e engraçado.. Nem por um momento levei para o lado "preconceituoso" que VC falou, mas cada um com suas críticas..

    ResponderExcluir
  8. Acho que o livro explica pq a Ane gosta dele de repente. Diz que depois que ela teve filho ninguém mais dava mole e ele era a última opção. Não era isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. O livro não deixa isso claro, afinal, é em primeira pessoa e não conhecemos a cabeça de Ane. Mas no geral, sim, é essa a impressão que nós temos.

      Excluir
  9. Desnecessário comparar um escritor iniciante com um escritor renomado como o Jhon Green. O mais maravilhoso na história de Rick e Anne é que é algo real, uma história que mostra que qualquer um esta sujeito a sofrer de desilusões, sejam elas amorosas, familiares ou entre amigos. O fato é que esta história, está muito mais próxima da nossa realidade, no qual qualquer um pode passar por fatos semelhantes do que em muitas literaturas extrangeiras por ai no qual envolvem seres misticos, não desmerecendo as mesmas, mas esta é uma história no qual os leitores poderão se identificar com os personagens, com os acontecimentos narrados pelo escritor. Não importa se o escritor é iniciante, ou se sua forma de escrita não se parece com a de grandes autores renomados, o que realmente importa é que há sempre uma mensagem a ser passada, isto vale pra todo tipo de histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lizzie.
      Acho extremamente válido comparar um escritor iniciante com qualquer outro que se assemelha no gênero. Não se esqueça que John Green, também já foi "iniciante" e eu tomei o cuidado de citar o primeiro livro de sua carreira.

      Excluir